sábado, 9 de junho de 2012

Filme: Chilling Romance


Sinopse: Um mágico de rua mal sucedido persegue uma moça esquisita e a contrata para ser sua “assistente de palco”.

Estava eu brisando divando em uma noite de sexta-feira, super a fim de assistir alguma coisa asiática e de repente vi esse filme no Sarang I Love You, então, decidi baixar para ver no que dava. O cartaz chamou bastante atenção, por isso, resolvi dar uma chance a esses dois atores cheirosos que ainda não conhecia. Claro que tem vários absurdos e coisas subentendidas que ocorreram no filme e vou expô-las aqui, óbvio.


Ma Jo Goo é o tal mágico de rua mal-sucedido que, ao ver Yeo Ri em um dos seus shows, a persegue e a convida para ser sua “assistente de palco”, se assim podemos chamar. Nunca tinha visto um drama com o senhor Lee Min Ki, entretanto, confesso que fiquei um pouco impressionada com sua atuação. Não que ele seja do tipo que te desperta aquele desejo de assistir seus trabalhos – como Jang Geun Suk ♥ – e nem que seja do tipo “nossa, como ele atua!” ou “nossa, como ele é lindo. Casa comigo, cara!”, todavia dá pro gasto, né? Seu personagem é um tanto quanto cômico, em algumas cenas, de tão bobo que é. E, na minha humilde opinião, já uma coisa meio clichê em filmes de “comédia romântica” – se é que isso era pra ser uma comédia romântica!


Yeo Ri é uma mulher solteira e sozinha – se assim podemos dizer, já que a família não mora com ela – que é assombrada pelo seu passado. E quando eu digo assombrada pelo passado, levem isso para o lado literal. Tem lá a fantasma, Ju Hee, que parece mais aqueles espíritos de filme americano, mas tudo bem que um dia foi sua melhor amiga. Ambas sofreram um acidente e, graça a Yeo Ri ter pedido emprestado o colar de sua amiga e quase ter morrido com o mesmo em seu pescoço, foi salva primeiro. Segundo o médico que lhe salvara, seu corpo tinha uma luz diferente. Não que tenha achado que a Yeo Ri tenha feito grandes coisas no filme e em sua vida fictícia, no entanto, ela me deixou um pouco irritada, sabe? E, depois, a irritação passou porque eu comecei a ter pena dela por ser sozinha, ter que mentir que está feliz mesmo não estando, não ver suas amigas há dez anos, não ter um relacionamento decente, etc, etc, etc... toda aquela baboseira de sempre que a gente já está acostumado.


As amigas da Yeo Ri eram uma comédia. Aquela escritora de escritoras de comédias românticas era sem dúvida sensacional. Ela era outra solteirona que achava que sabia tudo sobre romances, já que era escritora. Sem falar que a maioria das suas cenas eram durante o banho dela, quase cheguei a pensar que ela morava no banheiro! A outra vivia cheia de métodos de emagrecimento, só que nenhum dava certo... 
Sem muito elenco de apoio, o filme me conquistou justamente por isso. Não que tenha algo contra figurantes e coadjuvantes, só que acho que muitos deles em um único filme não é legal. Tira muito a atenção do foco principal – que, no caso, é Yeo Ri e Jo Goo. Como aquela namorada-de-começo-de-filme-barra-drama do Jo Goo. Ela não fedeu nem cheirou, apareceu em umas três cenas, totalizando uns quinze minutos no máximo e foi só pra encher linguiça! Acha mesmo que tem necessidade disso?


E não que tenha tido cenas hilárias de você quase ter um infarto de tanto rir. Todavia teve algumas cenas que tiravam um riso mais frouxo e te faziam querer continuar a assistir. Ou talvez era apenas uma tentativa de retirar o foco dos pequenos e nada assustadores sustos que ocorriam vez ou outra no decorrer do filme. Nada muito exagerado. Ainda assim, teve uma cena que me fez ter um ataque de riso que eu não conseguia mais parar. Capture da dita cuja abaixo:




Já sem muitas expectativas de que fosse mesmo bom, o final não surpreendeu. Claro que dá aquela ansiedade de “oh, como será que vai terminar?”, depois você não consegue nada mais que uma sensação de “sério que é só isso? Eu já sabia que ia acabar assim!”. Não que o filme não tenha lá o seu valor, que não seja bom, que não valha a pena ver, só que é mais um daqueles filmes tipo “eu gostei, mas não recomendo a não ser que você não tenha nada melhor pra fazer”. Ainda assim, quero deixar registrado aqui que este foi o primeiro filme coreano que meu pai se deu ao trabalho de sentar e assistir comigo. Mesmo não tendo gostado da metade pro final, ele se manteve firme e assistiu até o fim! Outra coisa que quero deixar registrada é: segundo meu pai, mulheres coreanas são mais bonitas que japonesas e chinesas...

Mensagem Subliminar:

Não se relacione com pessoas com passado perseguidor, esse passado pode passar a te perseguir também!