sábado, 21 de abril de 2012

E se as aparências realmente enganam os olhos dos meros mortais?


Acabo de ir até o Dramatologia e ver coisas que me tiraram totalmente do sério e me deixaram muito frustrada por ser kpopper. Deixa eu explicar por que. Nessa postagem, minha cara Raquel - uma das pessoas que eu mais admiro, de coração - comenta sobre algumas "atitudes" de talifãs imaturas e infantis. Ok, eu não quero falar só sobre as talifãs do TaeMin, mas das "sasaengs à distância" em geral.
Sasaeng, pra quem não sabe, é um termo usado para descrever, se assim podemos dizer, kpoppers com um nível de "adoração" mais perigoso que o normal. Elas perseguem seus ídolos, tiram-lhes a privacidade e tem comportamento totalmente possessivo e agressivo. E muitas vezes isso gera violência da parte dos ídolos, pelo estresse causado à eles - vide os vídeos: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=mp81lAfDIcE; http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=lWic8QUWKmU.
Todavia acalmem os ânimos, ainda não é nesse ponto que eu quero chegar. Quem leu - e se você não leu, corra para ler - a postagem da Raquel sabe que o preconceito é uma coisa muito usada para agredir as pessoas, mesmo que inconscientemente. Mas e se o seu ídolo não é como você pensa que é? E se os seus olhos de mortais não te deixam ver o que realmente é verdade?
Vamos deixar de lado os ídolos, o amor, os fandoms e vamos fazer uso dos olhos analíticos que a filosofia e a sociologia nos dão - ou não. Algumas coisas no kpop ultrapassam o senso do rídiculo. Peguemos como exemplo Super Junior, uma das maiores boybands da Coréia, com um dos maiores e mais respeitados fandoms. Se você for avaliar, nem todas as músicas são boas, nem todas as frases das letras fazem sentido e muito menos da metade dos integrantes tem, de fato, um talento natural para a coisa toda. Entretanto, o que é que realmente te faz gostar deles? Seria a imagem divertida ou o produto físico que lhe é oferecido? Não sei. Eu também não sei o que me fez gostar, porque a primeira vista eu não gostei e aposto que a maioria também não. Só que a questão é: até que ponto tudo isso é verdadeiro?
Todos nós sabemos que as empresas abusam e exploram dos seus contratados e, muitas vezes, há uma cláusula no contrato que permite que elas façam isso com seus contratados. E é por isso que eu estou aqui tentando fazer as pessoas olharem pelo menos por um minuto para tudo isso e questionar a realidade desse mundo.
Portanto, o que você faria se descobrisse que seu ídolo é racista? Antissocial? Tivesse preconceito com as classes sociais mais baixas? Porém não é apenas isso. O pior pesadelo de uma "sasaeng à distância" é: e se o seu ídolo fosse gay, minha filha? Acho que elas aceitam todo o tipo de preconceito da parte deles, todavia não aceitariam a opção sexual deles.
TaeMin e Ren são exemplos de meninos que são mais femininos que a minha pessoa, mas que não podemos provar se eles são assim ou se isso é apenas uma imagem criada por suas contratantes para que um público maior seja atingido. Caso você não tenha entendido como eles consegue que um público maior seja alcançado dessa forma, eu explico. Kpoppers, na sua grande maioria, são meninas, ou seja, a grande sacada de ter integrantes com "personalidades" assim é: as garotas vêem neles o que na verdade elas desejam ser.
Mesmo que você esteja sofrendo um momento de negação neste exato minutos, depois de um tempo você vai perceber que o cabelo de ambos é melhor que o seu e o meu juntos e que só teremos um cabelo assim daqui um trinlhão de anos e um quadrilhão de gerações. E que só teremos conseguiremos peles de pêssego e maquiagens lindas assim se debutarmos.
Você deve se perguntar: "Tá, mas o que eu tenho a ver com isso? E onde você quer chegar com isso?" e eu respondo: o que as empresas querem é que você se identifique com seus produtos - boybands e girlbands - e se interesse por eles. É como um ciclo vicioso que nunca acaba. Hoje, você gosta disso, amanhã, milhares de garotas gostaram disso também. E tudo que eles tem que fazer é instruir seus belos rapazes e moças magras a sorrir, serem simpáticos e apenas falarem quando lhes dirigirem a palavra.
Em seus tempos de trainee, eles não são treinados apenas para dançar e cantar durante horas a fio, são também treinados para ter um linguajar acessível, serem educados, sorrirem mais do que é necessário, estarem sempre de bom humor e serem tão engraçados quanto é possível.
E, quando menos esperamos, estamos envolvidos com a graça e a irreverência desses artista totalmente carismáticos, porém sem saber se isso é genuíno ou se eles são apenas robôs manipulados pelos seus superiores. E a dúvida permanece sem uma resposta.
O que eu estou querendo dizer é que só porque o seu ídolo parece menina, legal, engraçado, talentoso, divertido que é dessa maneira. Só porque você o vê desse modo não significa nada. Não é uma verdade só porque nós achamos que é.
Enfim, chega de encheção de linguíça, eu não aguento mais dar uma de menina intelectual sabendo que vai ter um monte de gente que vai ler isso e não vai compreender o verdadeiro fundo disso tudo. A única coisa que eu digo as pessoas que chegaram até essa parte do post é: Obrigado e reflita sobre isso.

PS: Quem sabe eu até use isso em um trabalho de escola *likeaboss*